sábado, 22 de maio de 2010

Armação no Lata Velha



Os irmãos, Juliano Silva Barbosa, 32 anos, Daniel, 35 anos, proprietários da Dimension Customs.prestandores de serviço para Rede Globo de Televisão, customizando os carros do Programa Lata Velha, que compõe o Quadro Caldeirão do Huck, apresentado pelo Sr. Luciano Huck. Visando preservar suas imagens, optaram por se desligarem do programa.
Segundo eles o motivo seria que eles perceberam que estavam praticamente “pagando do bolso” para trabalhar, já que o valor pago pela Rede Globo continuava o mesmo. Além dos prazos extremamente curtos, e que a ausência de ambos em virtude dos trabalhos junto aos patrocinadores, acabavam comprometendo a qualidade e segurança dos carros, ainda mais que exigiam modificações "sem sentido" que demandava muito tempo para serem feitas, e que a preocupação principal do programa era somente se o carro ficaria "bonito diante das câmeras", e não se importavam muito com as coisas mais importante como suspensão, freio, direção, mecânica e etc... Mas depois quando os carros apresentavam problemas, era a Dimension Customs que pagava as contas das garantias. E após uma nova reunião onde tiveram mais uma vez negado seu pedido de aumento, comunicaram seus desligamento do programa foi quando o diretor Sr. Mario Meirelles propôs que eles empresta-se a oficina para Mohamad cuidar da reforma dos carros em troca a Rede Globo pagariam R$ 5.000 a cada um pelo direito de imagem deixando ambos livres para fazer outras coisas mais com um salário garantido. A sujeira começava ai, onde transformaram os sonhos de 10 anos num pesadelo, descobriu que seu sócio de prenome Mohamad gravava suas conversas de desabafos para poder comprometê-los junto à emissora e agora de posse da oficina começou uma revolução lá dentro. Retirou boa parte das coisas e carros de clientes inacabados, e colocou em um galpão alugado por ele que dizia ser uma oficina, e iniciou uma reforma faraônica no imóvel onde fazia o Lata Velha. Até então nenhuma problema foi quando resolveram fazer uma visita e estranharam a falta de alguns equipamentos e ferramentas. E ao questionar o Sr. Mohamad respondeu que tinha vendido as ferramentas para comprar ferramentas novas e melhorar o visual da oficina, pedindo para ambos ficarem tranqüilos pois tudo que estava ali era deles. Sendo enganados dessa forma por vários dias, no começo do ano o pessoal da Rede Globo os convocou para uma reunião na Sede da Berrine, com o diretor Luiz Castilho e a Srta. Rita responsável pelas finanças do quadro. Após alguns minutos, muito constrangidos disseram que não poderiam pagar os R$5.000,00 prometidos a cada um deles e sim R$600,00 no máximo. Que tiveram que brigar e lutar muito para conseguir os R$600,00. e mesmo estarrecidos, pois na altura do campeonato se soubessem que não iriam cumprir o que prometeram não teriam aceitado na reunião do dia 5 de novembro. Tiveram que aceitar porem ao pedir seu matéria de trabalho de volta para que pudesse correr atrás do prejuízo ao chegar a oficina temeram sua entrada barrada pelo seu antigo sócio o Sr. Mohamad e após discursão ouvira a seguinte frase de um funcionário “ Qual ferramentas vocês tem aqui? Elas são todas do Sr. Mohamad!
E assim resolveram entrar com uma ação contra o sócio a emissora e diretores do programa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário